Geral

Um novo começo aos papeleiros

As seis famílias foram removidas das margens da ERS-130 na manhã de ontem

Créditos: Jean Peixoto
SATISFAÇÃO: Davi Fernandes dos Santos comemora a entrada no novo lar - Lidiane Mallmann

Lajeado - Com a mobília encaixotada e um sorriso estampado no rosto, Neuza Therezinha Voic (40) aguardava ansiosa pelos servidores que ajudariam na primeira mudança de sua vida. Na manhã de ontem, a dona de casa acordou antes do nascer do sol para organizar seus pertences, com ajuda da filha Angélica Maria Voic (21). Neuza integra o grupo de seis famílias de papeleiros, residentes às margens da ERS-130, que foram contemplados com novas moradias pela Prefeitura de Lajeado. "Para nós, está sendo uma maravilha. Lá, teremos energia elétrica e água encanada. Aqui, temos que buscar água e guardar em galões", relata Neuza. As seis casas ficam em um loteamento, na divisa dos bairros Santo Antônio e Jardim do Cedro. Cada moradia tem 47 metros quadrados, com quatro cômodos construídos com madeira de eucalipto e um banheiro de alvenaria.


Os caminhões da Prefeitura chegaram por volta de 7h, mas a remoção dos pertences se estendeu por toda a manhã. Após a retirada, as máquinas começaram a trabalhar na limpeza do terreno. Conforme a Secretaria de Obras e Serviços Públicos (SEOSP), a demolição das moradias deve ocorrer hoje. A prefeitura prometeu a construção de um pavilhão de reciclagem para que eles possam trabalhar. No entanto, o local ainda não está definido. Está em análise pela Seosp, um terreno próximo ao loteamento, no Bairro Santo Antônio.


Nova chance

"Honestidade, trabalho e sinceridade para vencer." As palavras estampadas na área externa da moradia do papeleiro Odilon Ramos da Rosa (61) traduzem a sua filosofia de vida. Natural de Bom Retiro do Sul, Odilon agiliza os documentos para o seu cadastro de energia elétrica enquanto aguarda os carregadores. Ao lado da esposa Maria Cristina Ramos da Rosa (61) e dos filhos, Francisco e Michele, ele morava no local há pouco mais de um ano, no casebre construído com materiais que ele mesmo coletou. "Acredito que essa mudança vai ser muito boa para nós, pois aqui, vivemos em uma situação completamente desumana", ressalta.


Incompreensão


O presidente da Associação de Catadores Sepé Tiarajú, Adriano Leandro Rodrigues (47), chegou à Vila dos Papeleiros por volta de 5h para coordenar a alocação das mobílias no caminhão de mudanças. Embora não seja morador do local, ele tem uma relação muito próxima com os catadores e destaca que são todos trabalhadores. "Eu acompanhei as negociações desde o começo. As pessoas do bairro (Jardim do Cedro) achavam que levaríamos lixo para lá. Eles pensavam que iríamos fazer bagunça, mas nós não somos bagunça, somos trabalhadores", destaca.


Acesso


A proposta da Administração Municipal é a abertura de uma via lateral, ligando a ERS-130 à empresa Docile, no local onde hoje ficam as casas. No entanto, Fabiano Bergmann, titular da pasta de Obras e Serviços Públicos, ressalta que há muito material para ser retirado do local. "Ainda não temos prazo, a proposta é abrir um acesso lateral. A nossa preocupação, hoje, é retirar o pessoal daqui para garantir mais segurança na ERS. A princípio, vamos fazer a limpeza, o material será encaminhado ao aterro sanitário e o que for de terra será deslocado para as áreas mais baixas", explica.


Segurança


O secretário Fabiano Bergmann comenta que a ocupação representa um perigo tanto para pedestres quanto motoristas. "No último sábado, um cavalo foi atropelado aqui. É um transtorno diário que pode ocasionar um acidente a qualquer momento", diz. Bergmann salienta, também, que as tensões entre moradores do Bairro Jardim do Cedro e os papeleiros foram pacificadas.


O titular da Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sthas), Lorival Silveira, acompanhou a remoção das famílias. O secretário relata que foi realizado um acompanhamento e cadastro dos moradores para que a transição transcorresse de forma ordenada. "A Assistência Social vai seguir acompanhando as famílias. Eles não sabiam dos direitos deles e agora estamos prestando orientação."

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...