Geral

Telefonista sabe centenas de números da região ?de cor?

Com duas décadas de profissão, a agenda telefônica é a memória para Nivia de Azevedo

Créditos: Juliana Bencke
- Juliana Bencke

Fazenda Vilanova - "Secretaria de Saúde de Fazenda Vilanova: 3609-2102. Corpo de Bombeiros de Estrela: 3712-1242. Apomedil Veículos, de Lajeado: 3748-5422." Com a bagagem de 22 anos de telefonista no município - na Central Telefônica e na Prefeitura - Nivia Terezinha de Azevedo (48) dispensa a lista telefônica para saber esses e outras centenas de números de telefone da região. O interlocutor mal termina de perguntar e ela responde de imediato. Sabe "de cor". "Quando me aposentar, vou abrir uma central de informações", brinca.

 

Conhecida por guardar na memória a maioria dos telefones da cidade e da região, a telefonista esbanja satisfação ao falar da profissão à qual se dedica desde a década de 1990, quando Fazenda Vilanova ainda era distrito de Bom Retiro do Sul. O emprego na Central Telefônica da subprefeitura foi o primeiro fora da roça. Casada e com duas filhas pequenas, ela queria concluir os estudos e ter uma profissão. A oportunidade veio em uma vaga para telefonista, por meio do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee).

 

Além dos 200 ramais e do sistema de transmissão de ligações manual - com conexão de cabos para passar a ligação -, o fato de trabalhar fora de casa e ter reiniciado os estudos tornava o período ainda mais desafiador. "Nunca tinha pego um telefone na mão. Pedia força para ser uma telefonista boa", conta.

 

Na tentativa de qualificar o trabalho, Nivia decidiu estudar a lista telefônica. Levava a agenda para casa e, à noite, decorava os números. "Não demorei seis meses para entrar no ritmo", lembra. De lá pra cá, a cada dia, novos telefones foram acrescentados à memória da telefonista. "Do comércio do município sei todos. Também dos bancos, hospitais, das câmaras de vereadores e prefeituras da região e de empresas que têm relação com a Prefeitura", conta. A capacidade de memorização deixa a servidora pública orgulhosa. "Assim, agiliza o serviço de todo mundo."

 

Responsável por atender ligações da Prefeitura e realizar os contatos para diversos setores da Administração Municipal, a única telefonista concursada de Fazenda Vilanova tem sala própria, com sistema telefônico interligado ao computador. Entretanto, só recorre ao sistema depois de vasculhar a memória e não encontrar o número.

 

A relação dos ramais internos, colada na tela do computador, também é dispensada na maioria das vezes. No entanto, Nivia percebe que as facilidades da tecnologia têm deixado a memória mais relaxada. "Eu decorava bem mais. Esse sistema deixa a gente preguiçosa."

 

Em contrapartida, o que faz a memória da funcionária pública estar sempre em ação são os pedidos de números de telefone. É comum ela receber ligações na Prefeitura em busca de contatos de estabelecimentos comerciais, repartições públicas e hospitais do município e de cidades vizinhas. "Quando não sei, tento descobrir e retornar para a pessoa."

 

Além disso, a profissional lança mão de uma técnica para gravar os números: faz associações com números parecidos. "Por exemplo: 3766-1951 é um cartório de Bom Retiro do Sul e 3653-1951 é Prefeitura de Taquari. Faço a relação. É mais fácil de decorar", explica.

 

 

Profissionalismo

 

A saudação "Prefeitura de Fazenda Vilanova, bom dia!" de Nivia vem sempre acompanhada de um sorriso no rosto e do aprendizado dos cursos de telefonista. "Mesmo estando com dor ou doente, atendo sempre no mesmo ritmo", salienta. Entre as regras para atender bem estão evitar gírias e diminutivos, chamar a pessoa pelo nome e se colocar à disposição para retornar a ligação, quando necessário. Tudo isso, para que o atendimento seja profissional. "Procuro sempre atender bem. A telefonista é o cartão de visita da Prefeitura."

Comentários

VEJA TAMBÉM...