Geral

Contratação de haitianos pela Dália é destacada pela Unesco

Exemplo vai ser tema de publicação editada em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República


- Carina Marques
Encantado - O trabalho e o modo de atuação da Dália Alimentos com os funcionários haitianos que trabalham na cooperativa. A iniciativa é considerada um case de sucesso pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Ao todo, são 200 haitianos que integram o quadro de funcionários da cooperativa, que começaram a chegar em 2012.



Em conjunto com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Unesco está elaborando material para a publicação de 12 cadernos educacionais sobre Direitos Humanos. A Dália Alimentos será retratada em um dos cadernos, que trata sobre o tema "Direito ao Trabalho com Dignidade." O volume abordará o trabalho digno no Brasil. O material está sendo documentado pela consultora internacional de Educação em Direitos Humanos, Alessandra Teixeira. A advogada e mestre em Legislação Internacional dos Direitos Humanos é quem está atuando junto ao projeto da Unesco.



Ela conta que escolheu a Dália para ilustrar o material, porque se interessava em conhecer um empreendimento, cujos haitianos contratados houvessem permanecido na empresa. "Levei isso em consideração, pois o relato da Secretaria de Direitos Humanos do Acre (Estado porta de entrada para os imigrantes) é de que muitos deles não se adaptam às empresas que os empregam. Por isso, a escolha pela Dália", explica.



A publicação, junto com toda a coletânea, deve ser lançada no mês de dezembro para todo o país e terá como público-alvo conselheiros tutelares. "O principal objetivo é levar informações às pessoas que estão diretamente envolvidas no trabalho com direitos humanos, mas que não possuem formação específica na área", detalha a advogada.



O título da coleção é "Por Uma Nova Cultura em Direitos Humanos" e busca eliminar os pré-conceitos de que direitos humanos são relacionados apenas e unicamente aos direitos dos presidiários, mas sim os direitos fundamentais de todas as pessoas, presente no dia-a-dia de cada um. O material também visa mostrar o amplo leque abarcado pelos direitos fundamentais.


 
Motivo de orgulho

Para o presidente Executivo da Dália Alimentos, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, ter o nome da Dália veiculado ao material da UNESCO é motivo de orgulho, pois se trata de uma organização internacional muito respeitada. "Saber que o modo como a Dália conduziu e conduz a vinda dos haitianos é notícia para uma instituição tão importante e respeitada internacionalmente nos enche de orgulho. Enobrece a Dália, a cidade de Encantado, o Rio Grande do Sul e o Brasil."



Cenário atual

Hoje, a Dália Alimentos emprega cerca de 200 haitianos. O primeiro grupo de 50 pessoas chegou à empresa em outubro de 2012. Na bagagem, o sonho de um trabalho digno e de um novo traçado para a vida devastada pelo terremoto que atingiu o Haiti em 2010.



Em virtude da adaptação favorável, em janeiro deste ano um novo grande grupo chegou a Encantado. Naquela oportunidade, foram 75 haitianos. Desde então, pequenos grupos saem de Brasileia, no Acre, e rumam ao Rio Grande do Sul em busca de oportunidades de trabalho. Na cooperativa, eles estão lotados nos setores de laticínios, frigorífico e na fábrica de rações.

Comentários

VEJA TAMBÉM...