Colunistas

Onde está o melhor futebol do Brasil?

Guilherme Rossini - Jornalista Esportivo [email protected]


Na noite da última quarta-feira (17), Grêmio e Internacional avançaram as semifinais da Copa do Brasil. Entretanto, houveram diferenças nas classificações das duas equipes. O Inter foi vivo e visceral, mostrando que sabia o que queria e o que precisava para vencer. Odair Hellmann foi corajoso e obstinado, levando o Internacional a vitória e a classificação no tempo normal. Mas o assoprador de apito, com o auxilio do árbitro de vídeo, anulou um gol legalíssimo do Colorado, expulsou D'Alessandro injustamente e levou a partida nas penalidades. Mas Hellmann queria vencer, e como queria. Venceu, comemorou, esbravejou e sublinhou no final - "Se a gente tivesse perdido, a carga viria em cima dos jogadores, do treinador e da direção. Podia acabar com um trabalho muito bem feito. Isso não pode acontecer nem para o Inter nem para o Palmeiras".
Se Odair Hellmann mostrou um ótimo trabalho ontem, independente do VAR, Renato Portaluppi está precisando do árbitro de vídeo para poder rever suas promessas. O treinador vem, durante toda a temporada, primeiro dizendo que o Grêmio joga o melhor futebol do Brasil e, antes da parada para a Copa América, garantiu que seu time voltaria a ser o que pratica o melhor futebol do país. Não sei, mas o jogo sonolento, sem ímpeto e com movimentação limitada do Grêmio em 2019 mostra que Portaluppi nem sempre cumpre o que promete. Cadê o tal melhor futebol do Brasil, Renato?

Futebol é resultado

Na manhã de ontem, após a classificação do Tricolor, abri diversos portais na internet dizendo que o Grêmio 'voltou a ser copeiro', ou que 'vitória copeira' leva Grêmio às semifinais da Copa do Brasil. Rótulo que pode ser visto de duas formas. Claro que a equipe tem seus méritos por ter se classificado, em mais uma oportunidade, em um torneio mata-mata. Porém, o futebol copeiro do Tricolor, que é aquele praticado até meados de 2010, sinônimo de muita luta e sim, pouco futebol, e que jamais poderia ser chamado de melhor do Brasil.
Prometeu, tem que cumprir. É fato. O Grêmio está na semifinal, e isso é louvável. Mais um grande resultado do treinador. Porém, para chegar a melhor futebol do Brasil, falta organização, intensidade, objetividade e qualidade. Jean Pyerre não é o Luan em boa fase, como Matheus Henrique não tem nada a ver com o Arthur, ou até o André, que precisa de muito mais para ser Jael.


Guilherme Rossini

Comments

SEE ALSO ...