Variedades

Peça teatral será apresentada neste sábado, gratuitamente, em Estrela

Espetáculo premiado será apresentado gratuitamente para a comunidade


- Vergilio Lopes/divulgação

Estrela - O resgate da centelha da infância na vida adulta é o tema central do espetáculo teatral As Cinco Pontas de uma Estrela Torta que será apresentado, gratuitamente, neste sábado, às 20h, no Parque Princesa do Vale, Rua Júlio de Castilhos, Bairro Cristo Rei. A ação faz parte do Projeto de Circulação financiado pelo "Prêmio IEACen Teatro _ Pró Cultura RS Fundo de Apoio a Cultura 2017", da Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, que prevê a realização da peça hamburguense de forma gratuita para o público em sete municípios gaúchos. A cidade de Estrela será a penúltima parada do espetáculo, que encerra seu circuito em São Sebastião do Caí, depois de já ter passado por Sapiranga, Dois Irmãos, Tupandi, Canoas e Caxias do Sul. Em Estrela, a apresentação conta com a parceria da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secultur).

Reflexão
Com texto original do dramaturgo e diretor Maurício Fülber, a peça propõe uma reflexão acerca da condição humana na atualidade, fundamentada em conceitos científicos e filosóficos. "Nossa história transita em temas como condicionamento social, criatividade artística, existencialismo cósmico, liberdade individual e projeção do amor romântico que, juntos, culminam em uma reflexão sobre o reencontro com a nossa criança interior", explica Fülber.

Encenado pela primeira vez em 2014, As Cinco Pontas de Uma Estrela Torta é um espetáculo poético construído a partir de um ambiente representativo do inconsciente da protagonista, Savine, em três fases de sua vida: a infância, a adolescência e a maturidade. Aos 10 anos, acompanhada de seu amigo imaginário e ursinho de pelúcia, Dante, vê todos os seus sonhos ganharem força enquanto conversa sobre ciência e filosofia antes de ir dormir. Aos 17 anos, vive seu primeiro amor com um rapaz que a instiga a criar histórias mágicas de mundos impossíveis. Chegando aos 29, se depara com as insatisfações e amarguras de suas escolhas pessoais e profissionais, decantando seu lado mais sombrio no palco.

Identificação
Segundo Fülber, por meio dessas três etapas de existência da personagem, ele procurou um contraponto entre as mudanças que transcorreram durante seu crescimento. "Os momentos se alternam e se encontram em cena para contar essa história de sonhos, amores e frustrações, uma identificação sutil com o público, que pode traçar um paralelo pessoal com várias situações e pensamentos, criando a possibilidade de uma reflexão profunda tanto da vida quanto do fazer artístico em si", pontua.

O espetáculo, que tem no elenco Martha Brito, Bruna Johan, Ana Spohr, Duda Hardessem, Juliano Rangel e Bruno Seixas, contabiliza 19 premiações ao longo de sua trajetória em festivais de teatro pelo Rio Grande do Sul, além de conquistar o 1º Lugar no Prêmio Dramaturgia do 6º Niterói em Cena, festival de grande destaque no Rio de Janeiro, e ter participado do Cenata 2014, em Araçatuba, São Paulo.

O projeto
O principal objetivo desse Projeto de Circulação é alcançar o maior número possível de público. A gratuidade das apresentações corrobora essa ideia, que tem em sua premissa fortalecer a cultura e a arte como modificadora social, visto que essa é a sua função primordial. Por isso, as apresentações serão sempre seguidas de um debate sobre os temas da peça e seu processo de criação, além de uma oficina sobre direção e encenação.

Para Fülber, a arte não serve apenas para ser bonita, mas para questionar, instigar, incomodar, encantar, fazer pensar e, por isso, quanto mais pessoas tiverem acesso a ela, mais a sociedade vai se desenvolver de forma esclarecida, sem tanto preconceito, disposta ao diálogo, a análise construtiva e a argumentação pacífica. "A expectativa agora é a de sermos parte dessa inspiração, que um pouco daquilo que construímos desperte o pensamento de cada um e os instigue a refletir fora dos padrões, de forma criativa e inovadora", explica.

Ficha técnica
Texto e direção: Maurício Fülber
Cenografia, figurinos e identidade visual: Vergílio Lopes
Criação de luz: Casemiro Azevedo
Trilha original: Maurício Fülber e Fábio de Pádua
Elenco: Ana Spohr, Bruna Johann, Juliano Rangel e Martha Brito
Produção: Maurício Fülber, Juliano Rangel, Claudir Fülber e Odete A. Banaletti
Confecção de figurinos: Odete A. Banaletti
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 12 anos
Financiamento: Pró Cultura RS Fundo de Apoio à Cultura _ Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
Apoio: Xícara de Tinta, Márcio Fülber e Bando e Associação Casa da Praça

Comentários

VEJA TAMBÉM...