Colunistas

A liberdade econômica e a arte do possível

Douglas Sandri [email protected]


Na noite desta terça-feira, em Brasília, soprou um vento de liberdade. Com quórum de emenda constitucional, com 345 votos, foi aprovada a Medida Provisória da Liberdade Econômica na Câmara dos Deputados. Soprou com muita esperança um vento seco do cerrado, carregado de boas novas ao povo brasileiro que empreende e que quer trabalhar. Parafraseando-se um deputado federal gaúcho, "soltaram-se um pouco mais os grilhões do Estado brasileiro de quem quer produzir". Um verdadeiro incentivo a quem quer gerar empregos, riqueza e renda.
Um feito emblemático que marca a história não só deste país continental sul americano, mas que será reconhecido pelo mundo. Na mesma semana em que os mercados se alvoroçaram com a possibilidade do retorno ao poder na Argentina de um grupo político alinhado com o que levou a Venezuela à situação calamitosa que se encontra, o Brasil determina através do seu parlamento o caminho que quer seguir. O caminho da prosperidade, da confiança no indivíduo e na humanidade, da presunção de boa fé, da racionalização burocrática, do reconhecimento da vulnerabilidade do cidadão em relação ao Estado e do respeito aos contratos.
A tramitação da Medida Provisória reforçou que a política é a arte do possível, que devemos ser apaixonados pela liberdade, mas não por qualquer atalho para chegarmos a ela. Precisamos construir caminhos seguros, que inspirem confiança e credibilidade. Enquanto a apresentação pelos deputados e senadores de mais de 300 emendas demonstraram que o Brasil está sedento por mais liberdade, o fato de ter sido votado um texto muito semelhante ao original demonstra que a política é mesmo uma arte do possível. Nem sempre tudo será possível ao mesmo tempo. É preciso priorizar, escolher e racionalizar para a melhor escolha.
Fizemos muito bem. Escolhemos ficar com a demonstração de que a liberdade econômica é o caminho e construirmos um caminho de sólido crescimento daqui em diante, esta medida é só o primeiro tijolo.


Comments

SEE ALSO ...