Geral

Kniphoff entrega sentença da Justiça sobre PAC II a Adi Cerutti

Quando secretário do governo Schmidt, vereador Cerutti acusou superfaturamento em obra de pavimentação em 16 ruas no valor de R$ 20,5 milhões. Três anos depois, Justiça concluiu que não houve sobrepreço

Créditos: Cristiano Duarte
PAC II: decisão da Justiça Federal sobre denúncia feita em 2015 gerou polêmica na Câmara de Vereadores - Lidiane Mallmann

Lajeado - Abrindo o espaço na tribuna na sessão da Câmara de Vereadores na noite de ontem, o vereador Sérgio Kniphoff (PT) entregou a sentença da Justiça Federal que concluiu que não houve sobrepreço nas obras do PAC II no governo de Luís Fernando Schmidt a Adi Cerutti (PSD).

No período em que ocupou o cargo de secretário de Obras, Cerutti acusou o governo do ex-prefeito Schmidt de praticar sobrepreço, suspeitas de cobranças não realizadas e de não fiscalizar devidamente os serviços de asfaltamento em 16 ruas na cidade. Na época, a obra foi orçada em R$ 20,5 milhões. A auditoria contratada pelo judiciário concluiu, na semana passada, que não houve sobrepreço nas obras além do limite estipulado pelo edital.

Naquela época de acusações, no segundo semestre de 2015, Cerutti chegou a jogar no chão documentos que seriam notas fiscais superfaturadas da empresa prestadora de serviço.

"Deixo em mãos do vereador Cerutti para que coloque a sentença da Justiça Federal junto com aqueles arquivos que jogou no chão desta Casa naquela vez", diz Knipohff.

Em resposta, Cerutti disse a Kniphoff que "talvez, em breve, ele devolva outros papéis ao vereador".

"É deplorável que tenham vereadores eleitos pelo povo que apoiem uma decisão da Justiça baseada em análise de fotos das ruas", critica Cerutti. "Acompanhei enquanto trabalhei naquele governo os preços e o quanto foi desviado. Britas que custavam R$ 45 o metro foram compradas por R$ 105", afirma.

Durante a sessão, vereadores favoráveis e contrários à decisão da Justiça Federal manifestaram suas opiniões na tribuna. Para Ildo Salvi (Rede), "não há dúvidas de que a juíza está equivocada". Crítico as denúncias feitas durante o pleito municipal em 2016, Ernani Teixeira (PTB) afirma que "houve mentiras nestas denúncias que acabaram por agravar o belo trabalho que Schmidt vinha fazendo". Colega de partido de Kniphoff, o petista Sérgio Rambo completa a defesa de Schmidt enfatizando que "decisão de juiz deve de ser respeitada".

Por ainda caber recurso a processo, Cerutti finaliza dizendo que o Ministério Público deverá nos próximos dias avalizar o caso.

"Essa decisão não me abala e nem me tira as esperanças. Vamos conseguir fazer a mudança neste país".

 

Comments

SEE ALSO ...