Geral

DOAÇÃO: Atitude que salva vidas

Para marcar o Dia Mundial do Doador de Sangue, o Hemovale destaca que uma única doação de sangue pode ajudar quatro pessoas

Créditos: Kassieli dos Santos
Moraes da Silva faz a doação de sangue no Hemovale - Kassieli dos Santos

VALE DO TAQUARI | A missão de salvar vidas do bombeiro Joel Moraes da Silva (49) vai do ofício. É no banco de sangue, de Lajeado, que ele contribui para ajudar outras pessoas. Na manhã da última sexta-feira, ele deslocou-se ao Hemovale para fazer sua parte. O morador de Bom Retiro do Sul é referência para a comunidade como doador, sendo solicitado por amigos e conhecidos que necessitam de intervenções médicas urgentes. "As pessoas me contatam, sabem que sou um doador. Respeitando o tempo de intervalo, sempre dou um jeito de ir, mesmo que não conheça a pessoa". Na primeira doação, feita há 28 anos, Joel descobriu seu tipo sanguíneo O-, doador universal. A ação teve continuidade e ele já percorreu mais de 100 quilômetros para fazer uma doação. Com o decorrer dos anos, preencheu diversas carteirinhas de doador e conta sobre a importância do ato. "É rápido e salva vidas. O que me deixa feliz é fazer alguém feliz", afirma.

Hoje, é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. A data busca destacar o importante ato dos doadores incentivando sua continuidade e mobilizando pessoas que nunca doaram a engajar-se nesta causa. A doação voluntária é essencial para os atendimentos de urgência, realização de cirurgias e tratamento de pessoas com doenças crônicas, além de doenças oncológicas variadas, que necessitam de transfusão com frequência.

Conforme a enfermeira responsável pelo Hemovale, Cleci Maria Paloschi, o banco de sangue recebe de 700 a 750 doações por mês, de doadores de toda região do Vale. Contudo, são feitas mil transfusões por mês, atendendo pacientes oncológicos, cirurgias, acidentes e estoque de sangue. "O tipo que temos mais necessidade é o sangue O-. Apenas 9% da população brasileira tem esse tipo sanguíneo, é um doador universal, por esse motivo não podemos ficar sem. Uma única doação de sangue pode ajudar até quatro vidas. O sangue total passa por um processo e separa hemocomponentes que podem ser destinados a diferentes pessoas. Precisamos desse estoque, pois temos muitos pacientes com leucemia", explica.

Cleci explica que a hemoterapia por meio de técnicas de centrifugação permite o fracionamento da bolsa de sangue total em concentrado de hemácias e de plaquetas, plasma fresco congelado e crioprecipitado. Estes hemocomponentes são utilizados para transfusão sanguínea, sendo que cada bolsa proveniente de uma doação pode beneficiar até quatro pacientes.
Para doar é necessário portar, apenas, um documento com fotografia, fazer o cadastro e uma triagem clínica com entrevista. O Hemovale disponibiliza a opção de agendamento para a doação, no horário de atendimento de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 13h, e sábado, das 7h30min às 11h, sendo necessário programar o atendimento.

Desde os 18 anos, o engenheiro ambiental, Vinícius Pretto da Silva (32) faz doações. A inspiração é o pai, que tem 66 anos e continua sendo doador. "Sempre vi meu pai fazendo doações, ele é uma pessoa muito grata. É um ato que não custa nada, muita gente precisa. Por que não doar?", destaca. A missão tornou-se tão importante para ele, que Silva nem cogita a ideia de fazer tatuagens, devido à orientação de que, após o procedimento, se espere um ano para procurar o hemocentro. Conforme o doador, já foram 25 litros de sangue, em uma tabela ele registra as doações e até programa as próximas.

 

Quem precisa tem pressa

"Nunca achei que precisaria, sou muito grato aos doadores. Ninguém sabe o dia de amanhã. De repente a gente se vê em uma situação como esta e está precisando de sangue", afirma Natanael de Brito (22). No mês passado, o morador de Encantado sofreu graves lesões em um acidente de motocicleta no deslocamento para o trabalho. Além de lesionar braços e pernas, sofreu a ruptura do baço, perdendo muito sangue. Natanael, precisou passar por quatro cirurgias e recebeu três transfusões de sangue. "Conforme a equipe médica, meu estado era muito grave, mas eu sobrevivi", comenta.

 

O que é preciso para fazer a doação?

Estar em boas condições de saúde
Possuir entre 16 e 69 anos, com autorização dos pais abaixo dos 18 anos
Pesar, no mínimo, 50 quilos
Estar bem alimentado
Estar descansado

Quem não pode doar?

Realizou acupuntura ou procedimento cirúrgico nos últimos 6 meses.
Fez alguma vacina em menos de 30 dias.
Realizou procedimento odontológico nos últimos 3 meses.
Realizou cirurgia nos últimos 6 meses.
Contraiu hepatite após os 11 anos de idade.
Ingeriu alimento gorduroso nas últimas 3 horas
Doou sangue em menos de 60 dias (homens) e 90 dias (mulheres)
Ingeriu bebida alcoólica nas últimas 12 horas
Estar gripado
Realizou tatuagem ou maquiagem definitiva ou piercing nos últimos 12 meses

 

Menos de 2% da população brasileira é doadora

Conforme os dados do Ministério da Saúde, atualmente, no Brasil, cerca de 1,6% da população doa sangue, 16 a cada mil habitantes. Embora o percentual fique dentro dos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS), é necessário aumentar o estoque dos bancos de sangue, especialmente em períodos que precedem férias, datas comemorativas e outros feriados prolongados, onde os estoquem tendem a cair. No inverno, gripes e resfriados também diminuem as idas aos hemocentros, destacando a necessidade de mais doações voluntárias.

 

 

Comments

SEE ALSO ...