Geral

"Negar que meu pai pode facilitar demandas da secretaria seria hipocrisia"

Filho do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o secretário de Estado de Articulação e Apoio aos Municípios, Rodrigo Lorenzoni, visitou pela primeira vez o Vale do Taquari nessa sexta-feira

Créditos: Cristiano Duarte
VISITA AO VALE: em sua primeira passagem como secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Rodrigo Lorenzoni visitou o Porto de Estrela e afirma que a municipalização avança em Brasília - Cristiano Duarte

Estrela - Presente na assembleia geral da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), ontem, o secretário de Estado de Articulação e Apoio aos Municípios, Rodrigo Lorenzoni (39) visitou a região e acompanhou de perto o pedido de municipalização do Porto de Estrela - que, segundo ele, já avançou no governo do estado e aguarda aval em Brasília para conclusão.
Médico-veterinário com pós-graduação em gestão empresarial, Rodrigo é filho do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. De acordo com o secretário, o vínculo familiar pode facilitar a viabilização de demandas da região na capital. Confira entrevista:

O Informativo do Vale _ A Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios havia sido extinta no governo José Ivo Sartori e estava vinculada a um departamento na Casa Civil do estado. Seu pai é ministro-chefe da Casa Civil do governo Bolsonaro. Esta relação familiar pode facilitar a conquista de demandas do Vale do Taquari e do Estado?
Rodrigo Lorenzoni - Com certeza vai ajudar. Faremos tudo com a maior impessoalidade possível - com transparência e seguindo os ritos que a gestão pública exige. Mas negar que meu pai pode facilitar as demandas de minha secretaria seria hipocrisia. A questão familiar, evidentemente, vai facilitar o diálogo. Mas, além disso, teremos apoio da Ana Amélia Lemos, como Secretaria de Relações Federativas e Internacionais do Rio Grande do Sul em Brasília, para fazer a coordenação de todos programas de interesse do estado junto ao governo federal.

O Informativo do Vale _ O senhor afirma ser um defensor do empreendedorismo e da diminuição da intervenção do estado na sociedade. No Vale do Taquari, o cooperativismo e setores empresariais clamam pela desburocratização. Em específico em nossa região, o que pretende fazer para aplicar seu discurso como secretário?
Lorenzoni _ O Vale do Taquari é uma região com vocação consolidada e latente no empreendedorismo. A partir disso, vamos construir em conjunto os caminhos para o desenvolvimento. Temos que criar ambientes propícios aos negócios e nosso estado tem uma burocracia 'maluca' que dificulta. Para sustentar esta máquina pesada, o estado aplica mais impostos e tira mais dinheiro do contribuinte. Os empreendedores ficam com suas margens apertadas e elevam o preço de seus produtos e, logo, o consumidor enfrenta mais dificuldade para comprar e a roda começa a travar. Queremos acabar com este ciclo vicioso e criar um ciclo virtuoso.

O Informativo do Vale _ E quais os caminhos para desburocratizar a máquina pública na sua pasta?
Lorenzoni _ Temos que tirar o peso tributário de cima de quem empreende, porque isso resulta no preço final. No momento em que reduzirmos a intervenção do estado, vamos precisar de menos recursos públicos para manter a máquina do estado. Desonerando o empreendedor, iremos baixar o preço dos produtos e, por consequência, haverá mais consumo. Com isso, o estado irá arrecadar mais. Esse é o caminho trilhado por todo empreendedor e sociedade que conseguiu desenvolver-se. É a nossa lógica de trabalho - ajudaremos o estado a fazer suas reformas e a partir delas voltaremos a ter capacidade de investimento nas áreas estruturais.

O Informativo do Vale _ Em outras gestões, a Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios foi "carinhosamente" chamada de "secretaria dos prefeitos" por ser porta-voz das demandas das cidades no governo. Sob sua administração, pretende fazer uma gestão que receberá os prefeitos no Piratini ou que percorra o interior do estado em busca de diálogo e soluções para as demandas dos municípios?
Lorenzoni _ A ideia é que agente possa trabalhar de forma integrada com os municípios. Estaremos mais fora de Porto Alegre cumprindo agendas e fazendo este papel de diálogo em busca de entendimento e propostas de ações que possam ser feitas nas cidades. Nossa forma de atuação será usando a palavra que nomeia nossa pasta "articulação". Em relação ao Porto de Estrela, já fiz reunião com o prefeito Rafael Mallmann e por parte do estado o pedido de municipalização já está concluído. Ao que parece, o assunto em Brasília, já está avançado e em breve a região poderá utilizar este espaço, que está ocioso, para o seu desenvolvimento.

Comentários

VEJA TAMBÉM...