Política

Ex-marido de Dilma, Carlos Araújo, morre em Porto Alegre


- reprodução/TV Brasil

Porto Alegre - A Santa Casa de Misericórdia confirmou o falecimento, na madrugada deste sábado (12), do ex-deputado Carlos Franklin Paixão Araújo, ex-marido da ex-presidente Dilma Rousseff. Durante da ditadura militar, ele foi militante da organização Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (Var-Palmares), onde conheceu a ex-presidente.

Carlos Araújo estava internado desde o dia 25 de julho, com problemas pulmonares crônicos e uma infecção das vias aéreas, na unidade de terapia intensiva do Pavilhão Pereira Filho, uma das unidades da Santa Casa especializada em tratamentos respiratórios.

"Aos 79 anos, era portador de doença pulmonar obstrutiva crônica, complicada por quadro de miocardiopatia dilatada isquêmica", informou o médico Sadi Marcelo Schio, por meio de nota. Ainda de acordo com o médico e a Santa Casa, o quadro do ex-deputado se agravou e ele precisou passar a necessitar de aparelhos para respiração.

 

Trajetória

Carlos Araújo foi um dos fundadores do PDT, partido no qual foi ligado a Leonel Brizola e pelo qual se elegeu deputado estadual por três vezes. Era advogado trabalhista e tinha escritório em Porto Alegre. Ele deixa uma única filha, com a ex-presidente, Paula Rousseff de Araújo.

A bancada do PT na Câmara dos Deputados divulgou nota de pesar pelo falecimento do ex-deputado. "A combatividade de Carlos Araújo e a defesa de ideais para a construção de um Brasil desenvolvido, justo, solidário e democrático ficam como exemplo para todos", diz a nota.

 

Nota do Pirartini

 

O governador José Ivo Sartori lamentou a morte do advogado trabalhista Carlos Araújo, ocorrida na madrugada deste sábado (12), em Porto Alegre.

O chefe do Executivo gaúcho emitiu uma nota de pesar à família

"Carlos Araújo teve importante papel na luta pela redemocratização do país, sendo referência na defesa das causas sociais.

Araújo se destacava pelo espírito democrático, se relacionando de forma fraternal e sempre respeitando posições diversas. Na carreira política, foi eleito deputado estadual por três mandatos, atuando com destaque na Assembleia Constituinte Estadual em 1989. Em 2000, se afastou da vida parlamentar e passou a se dedicar exclusivamente à advocacia trabalhista como um dos mais antigos advogados da área no país, mas sem deixar de lado seu papel de articulista.

Carlos Araújo deixa um legado à democracia que permanecerá na memória dos gaúchos. O governo se solidariza com a família e amigos neste momento de tristeza."

Comentários

VEJA TAMBÉM...