Política

Brasileiros podem votar nas eleições italianas

Deputada italiana, Renata Bueno (esquerda), esteve na Assembleia gaúcha a convite do deputado Enio Bacci

Créditos: Assessoria de Imprensa deputado Enio Bacci
- Evelyn Berndt/Assessoria de Imprensa Enio Bacci/divulgação

Estado - As eleições gerais na Itália serão realizadas no dia 4 de março de 2018. Embora muitos não saibam, milhares de brasileiros e italianos no Brasil têm um papel importante na eleição: eles podem votar e escolher senadores e deputados que os representarão em Roma.

Desde 2006, os italianos no exterior têm direito a eleger 12 deputados e seis senadores. Na América do Sul, serão eleitos quatro deputados e dois senadores, maior número depois do reservado para a Europa.

A votação é facultativa aos italianos nascidos ou não na Itália e residentes na América do Sul. O processo é feito por correspondência através dos correios, as cédulas são enviadas à casa dos eleitores e devem ser postadas de volta até 1 de março, mas a orientação é que o envio seja feito até 22 de fevereiro, para que o voto chegue em Roma no prazo.

Atualmente, três brasileiros compõem o Parlamento italiano: os deputados Renata Bueno e Fabio Porta e o senador Fausto Longo.

A convite do deputado estadual Enio Bacci (PDT), a deputada italiana Renata Bueno, em campanha para a reeleição, esteve no Rio Grande do Sul no início do mês prestigiando a posse do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marlon Santos (PDT).

Renata é a primeira mulher nascida no Brasil a tornar-se deputada no Parlamento italiano. Ela é filha do deputado federal pelo Paraná, Rubens Bueno (PPS), daí a relação com o deputado Bacci, deputado federal por cinco legislaturas.

O Vale do Taquari tem mais de 500 italianos aptos a votar. Bacci apoia a deputada Renata Bueno e destaca a importância do voto. "É uma forma de aproximar os imigrantes italianos do seu país de origem. Apesar da distância, eles podem se sentir representados e amparados nas questões do seu país. Além de que o ato de votar é a garantia do exercício de cidadania e democracia", afirmou o parlamentar brasileiro.

Comentários

VEJA TAMBÉM...