Polícia

Polícia Civil investiga ataque a banco em Fazenda Vilanova

Dupla armada arrombou porta giratória, e roubou arma e dinheiro do caixa

Créditos: Natalia Nissen
ASSALTO: bandidos roubaram dinheiro do caixa e agência ficou fechada na tarde de ontem - Natalia Nissen

Fazenda Vilanova - Bandidos portando armas longas e encapuzados assaltaram uma agência bancária localizada na Avenida Rio Grande do Sul, pouco depois do meio-dia de ontem (6). Eles arrombaram a porta giratória do estabelecimento e roubaram o dinheiro do caixa, um colete balístico e o revólver do vigilante. A quantia levada pelos criminosos não foi divulgada e, de acordo com a Polícia Civil, não houve feridos ou reféns. Um terceiro bandido aguardava a dupla em um veículo Nissan Sentra cor prata, placa de Santa Cruz do Sul. Após a ação, eles fugiram pela BR-386, em direção a Taquari.

A Brigada Militar foi acionada e fez buscas na região, mas nenhum suspeito foi encontrado. A agência ficou fechada ontem e os clientes foram orientados a procurar os serviços nos postos de atendimento de Teutônia ou Bom Retiro do Sul. A Polícia Civil local apurou as informações iniciais do caso, mas as investigações devem ficar sob responsabilidade da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Por ter sido uma ação sem reféns e rápida, a princípio, a polícia não vincula com outros ataques na região.

Ação
Testemunhas afirmam que os bandidos ficaram poucos minutos no local. Um morador relata que avistou um homem portando uma pistola, no meio da rua, avisando as pessoas que se aproximavam que se tratava de um assalto. Ele teria ordenado que um grupo de jovens se afastasse do banco, com as mãos na cabeça, e também teria impedido um motorista de seguir pela avenida, fazendo com que o condutor deixasse o carro atravessado na via.

A agência fica nas proximidades da Escola Estadual de Ensino Médio Fazenda Vilanova e da Prefeitura. Logo após o fato, alguns clientes chegaram ao banco e foram informados do roubo. "E agora como vou receber (o salário)?", indaga uma moradora que foi surpreendida pela notícia do assalto. Outros, reclamam da falta de segurança pública. "Nunca se vê polícia na cidade, hoje (ontem) vão passar o dia inteiro por aí, mas agora os bandidos já estão longe", diz um rapaz.

Autoridades cobram mais investimentos
O município possui apenas duas agências bancárias. Além do estabelecimento assaltado ontem, o outro também já foi alvo de criminosos em arrombamentos. Os Correios, que também funcionavam como correspondente bancário, fecharam a unidade em Fazenda Vilanova após uma série de assaltos em 2015.

Carlos Rafael Mallmann, presidente da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) e prefeito de Estrela, afirma que os municípios da região têm colaborado com os órgãos de segurança, mesmo sem a atribuição constitucional para isso. "Estamos muito preocupados com a situação". Ele destaca que a Amvat realizou uma reunião que contou com a presença do secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, e tratou principalmente do déficit de efetivo na Polícia Civil e Brigada Militar na região.

"Segundo informações que recebemos, novos formandos serão designados para o interior do Estado, com o que acreditamos que melhore a segurança. É necessário observar, por outro lado, que este é um problema complexo, que não se restringe apenas à repressão. É educação, visando à formação de crianças e jovens para que se tornem cidadãos conscientes e que venham a contribuir com a sociedade, o que também tem recebido forte investimentos das administrações municipais."

Trabalho permanente para desarticular quadrilhas
A prisão de Vanderlei Lopes e Rudinei Lopes na Argentina, na semana passada, desarticula um grupo que tinha intensa atuação em ataques a banco no Vale do Taquari. Conforme o delegado Joel Wagner, titular da Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil, não se pode afirmar que as ocorrências diminuirão, mas grande parte dos roubos com uso de explosivos e cordão humano com reféns, ações que foram chamadas de "Novo Cangaço", estão associadas ao grupo criminoso que envolve os irmãos Lopes. Nessas situações, o bando agia especialmente em cidades com efetivo policial reduzido.

No final de outubro, em Capela de Santana, a polícia fez prisões e apreensões de armas e explosivos pertencentes a outro bando responsável por assaltos a bancos. Conforme o delegado, essa quadrilha pode ter ligação com um ataque em Paverama. "Na medida que se prende algumas pessoas e retira armamento e explosivos da rua, isso acaba influenciando diretamente no número de ataques, porque eles demoram para recuperar esse material", conta.

O delegado ressalta, ainda, que alguns períodos do ano são considerados mais críticos. Em dezembro, a movimentação financeira é mais intensa. Até o quinto dia útil e na última semana do mês a probabilidade de ocorrer um delito patrimonial contra instituição financeira é maior. São aqueles dias em que, geralmente, os trabalhadores recebem seus salários e, assim como a comunidade, as instituições bancárias movimentam mais quantias. A Polícia Civil tem uma operação permanente para monitorar possíveis ataques e criminosos com capacidade para cometer roubos a banco. "Existe uma tensão e preocupação nessa época do ano".

Ataques a banco no Vale do Taquari em 2017
9 de janeiro - Putinga
25 de fevereiro - Progresso
8 de abril - Pouso Novo
21 de abril - Boqueirão do Leão
21 de abril (tentativa de arrombamento) - Arroio do Meio
4 de maio - Cruzeiro do Sul
11 de maio - Sério
7 de junho - Putinga
29 de junho - Marques de Souza
8 de julho - Progresso
18 de julho - Paverama
19 de agosto - Bom Retiro do Sul
20 de setembro - Tabaí
04 de outubro - Paverama
3 de novembro - Taquari
6 de dezembro - Fazenda Vilanova

Comentários

VEJA TAMBÉM...