Polícia

Homem fica ferido após explosão em apartamento no Centro

Prédio ficou isolado até realização da perícia, e causas do sinistro são investigadas

Créditos: Natalia Nissen
- Natalia Nissen

Lajeado - Moradores de um prédio na Rua Pinheiro Machado, no Centro, foram surpreendidos por uma explosão seguida de incêndio em um apartamento por volta da 1h15min de quarta-feira. O prédio, com 28 apartamentos, foi evacuado, e o Corpo de Bombeiros permaneceu no local por mais de três horas para controlar as chamas e fazer o rescaldo da área. Rodrigo Aresi, morador do apartamento onde ocorreu o sinistro, ficou ferido e foi levado por um vizinho ao Hospital Bruno Born (HBB).

Aresi teria sofrido queimaduras em 70% do corpo e permanecia internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HBB até as 17h de quarta-feira, em estado grave. Até o fim da tarde não havia definição sobre uma possível transferência para o hospital referência no tratamento de queimados, em Porto Alegre.

Segundo o registro, o síndico do condomínio foi chamado por um morador do quarto andar, que percebeu o cheiro de gás vindo de um apartamento vizinho. O síndico teria ido até a caixa de registros de gás e constatado um vazamento no cone-borboleta do apartamento, que foi fechado. Ao retornar para sua residência, o morador ouviu o estrondo. Aresi teria chegado do trabalho e, ao abrir a porta, houve deslocamento de oxigênio provocando a explosão.

Moradores relataram que pessoas que estavam em prédios próximos perceberam as chamas e gritaram para que todos saíssem. "Foi uma correria. O vizinho que ficou ferido desceu as escadas sozinho e ficou aqui na frente, em estado de choque, até que alguém levasse-o para o hospital. Ele estava bastante machucado, mas não estava em chamas", comenta um morador.

Após a explosão, o prédio permaneceu isolado para o trabalho do Instituto Geral de Perícias (IGP) até a tarde de quarta-feira. A Polícia Civil também esteve no local e iniciou a investigação. A perícia deve esclarecer se havia algum tipo de vazamento no sistema de gás central do condomínio. Dentro do apartamento incendiado havia um botijão de gás. Responsáveis pela administradora do condomínio estiveram no prédio, e o engenheiro avaliou a estrutura para que os moradores pudessem entrar nos apartamentos para retirar pertences.

As portas do andar onde ocorreu a explosão teriam sido danificadas, assim como a porta do elevador, em função do deslocamento brusco de ar. Imagens de câmeras de vigilância do prédio poderão auxiliar na apuração do caso. O prédio tem aproximadamente quatro anos e alguns inquilinos pretendem deixar o local, incluindo um casal que havia feito a mudança na tarde anterior ao incêndio.



Prevenção
O comandante do Corpo de Bombeiros de Lajeado, tenente Valdinei Rosa, afirma que ainda não há certeza sobre as causas do sinistro. Devido ao estado de queima dos móveis e eletrodomésticos do apartamento, é possível que o fogo tenha iniciado minutos, ou até horas, antes da explosão. Ele explica que o ocorrido se trata de uma explosão ambiental, causada possivelmente por vazamento de gás. Apenas o laudo pericial técnico poderá apontar as circunstâncias exatas do sinistro.

Conforme o tenente, alguns sinais de queima lenta podem ser percebidos antes da entrada em um ambiente de risco. A orientação é de que as pessoas não permaneçam em ambientes quando perceberem saída de fumaça por frestas ou aquecimento de aberturas, como portas. "Se houver vazamento de gás, o simples funcionamento de uma geladeira pode ocasionar um incêndio ou acionar o interruptor de luz pode gerar uma faísca. As pessoas não podem negligenciar um vazamento, seja qual for a natureza", destaca.

Comentários

VEJA TAMBÉM...