Polícia

Agentes de segurança têm espaço de treinamento reformado

Armas curtas, carabina e arma de caça de calibre 12 podem ser usadas na linha de tiro da Polícia Civil

Créditos: Natalia Nissen
APERFEIÇOAMENTO: linha de tiro segue padrões técnicos internacionais - Lidiane Mallmann

Lajeado - A linha de tiro da Polícia Civil de Lajeado foi reformada e passou a ser mais um recurso para aperfeiçoamento dos agentes de segurança pública do Vale do Taquari. O espaço é o único no Estado que segue padrões técnicos internacionais para a prática de tiro. As mudanças foram feitas com verbas da 19ª Delegacia de Polícia Regional (19ª DPR) de Lajeado e provenientes de Termos de Ajustamento de Conduta firmados com o Ministério Público (MP) de Encantado. O projeto já era antigo, mas dependia de dinheiro para ser viabilizado. Além desses recursos, algumas empresas também foram parceiras da iniciativa e transportaram ou forneceram parte do material aplicado.

Dinarte Marshall Júnior, delegado plantonista na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Lajeado e Instrutor de Armamento e Tiro na Academia de Polícia Civil (Acadepol), afirma que o objetivo da reforma é melhorar as condições estruturais para treinamento dos agentes e buscar a realização de cursos regulares de instrução e aperfeiçoamento, sem que os servidores tenham que se deslocar para outras regiões. "O serviço policial exige domínio do uso da arma e, para isso, a prática constante é fundamental. Com aumento nos registros de confrontos, é importante que os policiais estejam preparados."

A linha de tiro tem 15 metros de comprimento e 5,5 metros de largura. O comprimento é a distância padrão utilizada na Acadepol. No estande podem ser usadas armas curtas (pistola e revólver), carabina e arma de caça de calibre 12. A fiação elétrica foi substituída e refletores de LED foram instalados para melhorar a iluminação da sala. O piso também foi concretado e pintado. As paredes foram revestidas com espuma acústica anecóica, e novos exaustores e ventiladores foram instalados para dissipar os gases provenientes da combustão da pólvora. Os exaustores ainda têm coifas para impedir a saída de ruídos produzidos no local. A sala também conta com um refletor de luz strobo, que simula condições de baixa luminosidade. Marshall explica que esse jogo de luzes causa um estresse mental no agente, que se assemelha às condições enfrentadas em uma situação real.

Além do estande, há uma sala de instrução que pode ser utilizada pelos profissionais. O espaço precisa de melhorias, assim como os insumos usados durante os treinamentos, papelão e alvos. "O apoio da comunidade é sempre bem-vindo e em Lajeado esse trabalho comunitário é muito forte", ressalta o delegado.

Confira os vídeos da linha de tiro:

Comentários

VEJA TAMBÉM...