Geral

Léo Gaspar traz medalha da 19ª Volta Internacional da Pampulha

Das metas do corredor falta somente a Meia Maratona do Rio de Janeiro

Créditos: Livia Oselame
APOIO: Léo Gaspar (e) com a família de Irineu Dallaqua, em Belo Horizonte - Arquivo pessoal/divulgação

Arvorezinha - O nome de Arvorezinha está registrado no campeonato que ocorre no entorno de uma das lagoas mais famosas do Brasil. A Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte/MG, sediou a 19ª Volta Internacional, no último domingo, e dentre os milhares de inscritos, esteve um atleta da cidade localizada na parte mais alta do Vale do Taquari.

Léo Zair Gaspar de Lima (54) classificou-se em 56º lugar, concorrendo com 808 corredores de vários estados do Brasil e de inúmeras cidades de outros países, na modalidade 50-60 anos. No total, entre todas as categorias, foram cerca de 15 mil inscritos. "Fora os pipocas, que correm sem inscrição e só atrapalham os corredores oficiais", acrescenta.

A medalha da Volta da Pampulha é a segunda de uma meta de três corridas colocadas como desafio pelo corredor de Arvorezinha. "Já tenho a da São Silvestre - realizada em São Paulo, sempre no último dia do ano) e esta de Belo Horizonte; só falta a medalha da Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro", comenta.

Segundo Léo Gaspar, como é conhecido, essas três maratonas são as principais do gênero realizadas no Brasil, reunindo milhares de participantes. "Minha meta é cruzar a linha de chegada dentro do tempo regulamentar, que dê direito a medalha", explica.

Orgulho
A Volta Internacional da Pampulha, que compreende 17,8 quilômetros, foi percorrida por Gaspar em uma 1 hora e 22 minutos. Um contratempo na informação sobre a hora da largara impediu-o de colocar-se em posição ainda mais favorável.

Devido ao grande número de inscritos, o corredor percorreu os dois primeiros quilômetros caminhando, tentando encontrar uma posição mais adequada, que favorecesse a corrida e a conclusão do percurso em tempo adequado, que permitisse chegar entre os mil primeiros inscritos. "Acho que fiquei numa boa colocação", brinca. "Estamos voltando com a bagagem um pouco mais pesada", diz ele em seu perfil pessoal no Facebook.


Como de costume, Léo Gaspar exibe a bandeira de sua cidade em todas as maratonas e corridas em que participa. No seu acervo de medalhas, estão exemplares de corridas internacionais, regionais e a da São Silvestre, onde estreou em 2015 e retornou em 2016, completando o percurso nas duas ocasiões.

O corredor é servidor público municipal e iniciou no atletismo aos 50 anos de idade. Gaspar agradece à sua equipe de apoio, formada pelos amigos Delair Gonçalves e Irineu Dallaqua. Nos registros fotográficos, não pode faltar uma pose com sua afilhada, Maria Eduarda, de dois anos e meio, filha do casal apoiador. O atleta também contou com o apoio da prefeitura de Arvorezinha, que cedeu carro para o trajeto de ida e volta até o aeroporto, em Porto Alegre. "Sou grato a todos que me apoiam e me auxiliam", finaliza.

Comentários

VEJA TAMBÉM...