Geral

Languiru amplia fábrica de rações em Estrela

A secagem de grãos de milho poderá ser feita na própria unidade

Créditos: Naiâne Jagnow
SILO: o investimento da obra foi de aproximadamente R$ 4 milhões - Naiâne Jagnow
Estrela - A cooperativa Languiru inaugurou um novo espaço na unidade da fábrica de rações, em Estrela: o silo de secagem de grãos de milho. A solenidade foi às 11h de ontem e contou com a presença de autoridades municipais, representantes da Emater/RS-Ascar, presidente da Associação Rural de Lajeado (Arla), comissão da Languiru e associados.

A obra, que durou cinco meses para ser concluída, teve o investimento de aproximadamente R$ 4 milhões. Com isto, será possível aumentar a competitividade comercial da unidade, que já atende todo o Rio Grande do Sul.

Para o presidente da Languiru, Dirceu Bayer, a fábrica de rações agora é completa. "Até agora não tínhamos o secador e fazíamos o serviço de forma terceirizada. Neste momento, nosso associado pode entregar direto seu cereal que vai ser submetido a secagem do produto e já vai ficar aqui na própria fábrica".

Para o gerente da unidade, Joel Geraldelo, por meio do silo será possível valorizar o produtor de milho do Vale do Taquari. "Hoje, a estrutura produz aproximadamente 33 mil toneladas de ração ao mês, distribuídas em todo o estado. Para tudo isso, a gente precisa de um número significativo de grãos, milho, soja, enfim, todos os cereais. Atualmente, nosso consumo mensal de milho é, aproximadamente, 18 mil toneladas. Essa estrutura vai ajudar a absorver uma quantidade maior de grãos e de milho aqui na nossa região". Antes, o serviço era terceirizado e o produto, na sua grande totalidade, era do Mato Grosso e do Paraná. "Nós já estamos recebendo os grãos", salienta o gerente para os associados.

Em Estrela, a cooperativa ocupa a 6ª posição no ranking das cem maiores empresas com base no retorno de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Para o prefeito, Rafael Mallmann, valorizar os produtores locais será uma forma da empresa aumentar sua representatividade na cidade. "Consumir o milho daqui, e não buscar o de fora, fortalece ainda mais essa questão do ICMS", destaca.


Silo foi a aposta de 2017

"Esse foi o único investimento em 2017, a pedido dos nossos associados. Em vista da situação econômica dos anos anteriores, nós fomos precavidos ano passado. Mas esse investimento se justifica, porque era muito esperado", afirma o presidente da Languiru.

Para este ano, Bayer acredita em um melhor desempenho econômico, mas ainda é preciso ter cuidado. "Agora estamos em um novo momento, muita energia, muita motivação. Nosso produtor pode investir, a cooperativa tem um futuro promissor". O próximo passo da Languiru é expandir os trabalhos no frigorífico de suínos.

Segredo da elegância

O presidente da cooperativa elogiou a aparência do prefeito e do vice-prefeito de Estrela. "Olha a elegância do prefeito, olha a elegância do vice. Vocês sabem o segredo? Eles consomem produtos da Languiru", brinca.

Comentários

VEJA TAMBÉM...