Geral

Forquetinha: a joia germânica do Vale

Município de colonização alemã comemora aniversário de 22 anos

Créditos: Naiâne Jagnow
PREFEITURA: arquitetura alemã presente na edificação - Naiâne Jagnow

Forquetinha - Hoje, Forquetinha festeja seus 22 anos de emancipação. O pequeno município, com menos de 3 mil habitantes, chama a atenção de quem passa. Muitos visitantes descrevem o local como "um cenário de conto de fadas" ou "um pedacinho da Europa no Brasil".

Os traços da colonização alemã estão presentes em todos os cantos: nas construções em estilo enxaimel, nas placas indicativas que são em português e alemão, no Parque Christoph Bauer, e, principalmente, na população forquetinhense. Nas conversas matinais do município, a saudação que ecoa não é "bom dia", mas o "guten morgen".

PLACA: escrita em português e alemão



Um bom exemplo disso é a família Hofstaetter: nas falas do pai, mãe e filha o que predomina é o dialeto Hunsrück, proveniente da Alemanha. Otávio (60) e Wanda (59) tiveram o primeiro contato com a língua portuguesa apenas aos 7 anos, quando foram para a escola. "Era difícil. E se a gente falava em alemão, a professora nos fazia escrever várias vezes: 'não devo falar alemão, não devo falar alemão, não devo falar alemão...'", conta Otávio.

Para os mais idosos, a língua alemã parece ser ainda mais importante. "A única coisa que a minha mãe sabe em português são os hinos da igreja, ela sabe cantar todos", explica Wanda. Com os pais do marido dela não é muito diferente. "Meu pai até sabe um pouco de português, mas a minha mãe não fala nada", relata Otávio.

Porém, em Forquetinha, a língua germânica também está presente entre os mais novos, como é o caso da filha do Otávio e da Wanda, a Suelle (21). "Nós ensinamos o alemão para ela desde pequeninha, quando ela tinha 3 anos ensinamos o português também", diz a mãe.

FAMÍLIA: pai, mãe e filha falam alemão



A filha, que trabalha em uma empresa do município e cursa o ensino superior em Lajeado, nota como a colonização alemã está presente em Forquetinha. "No trabalho, o que prevalece é o alemão, mas na faculdade só tenho mais duas colegas que sabem falar", comenta.

Para o futuro, a família pretende continuar repassando a cultura alemã para as próximas gerações. "Se eu tiver filhos, também vou querer que eles falem alemão", afirma Suelle. Wanda e Otávio parecem aprovar a ideia. "A vó com certeza irá gostar de ensinar."

Conforme o chefe do executivo, Paulo Grunewald, a língua alemã é ensinada na Escola Municipal de Ensino Fundamental João Batista de Mello. "E a construção enxaimel é marca do nosso município, inclusive a escola possui arquitetura germânica, assim como outros prédios públicos".

Entrevista com o prefeito

 
No aniversário de 22 anos do município, o prefeito Paulo Grunewald, fala sobre a relevância do processo emancipatório e as perspectivas para o futuro.

O Informativo do Vale - Qual foi a importância da emancipação?
Paulo Grunewald - O atendimento à saúde, à educação, infraestrutura, desenvolvimento da agricultura, indústria, comércio, enfim, o sentimento de plena cidadania foi alcançado. A transformação em cidade fez com que conseguíssemos mais investimentos, pois alcançamos autonomia administrativa e financeira. Assim foi possível buscar os recursos e em conjunto definir quais as obras e melhorias necessárias para manter o crescimento. Com uma Prefeitura e com uma Câmara de Vereadores, o poder público se faz mais presente na vida da população.

O Informativo do Vale - Quais os planos para os próximos investimentos?
Grunewald - Hoje nosso governo cria novas oportunidades para todos. Na área da agricultura, que hoje representa mais de 70% da arrecadação, oferecemos aos produtores mais de 40 programas de incentivo.

Na educação trabalhamos para melhorar a infraestrutura da nossa escola. Buscamos a qualificação constante dos professores. Investimos R$ 680 mil em melhorias no colégio. Até o fim do governo vamos concluir o novo prédio da creche.

Na saúde somos referência em atendimento e cuidado com as pessoas. Contratamos mais médicos e aumentamos o valor aplicado, de 16% para mais de 21%, para desenvolver novos projetos com foco na prevenção. Em breve, iniciaremos aulas gratuitas nas academias, colocaremos em funcionamento as piscinas para oferecer aulas de hidroginástica e natação. Criamos um grupo de saúde mental, temos médico direto nas casas e retomamos o trabalho das agentes de saúde. Tudo reflete em mais qualidade de vida para todos.

Nas obras, a meta é construir uma nova ponte no centro, iniciar a pavimentação e abertura de novas ruas, construção de acostamento até o parque de exposições e recuperação estiva na Vila Haas. Também pretendemos fazer a compra de máquinas e equipamentos. Projetamos investir em torno de R$ 4 milhões.

Realizamos a maior feira da história no ano passado. Percebemos que era o momento de inovar, ousar e reinventar o formato do evento, mas sempre com muita responsabilidade em nossas decisões. Foi um sucesso absoluto.

Comentários

VEJA TAMBÉM...