Esporte

No céu do Vale do Taquari, competidores de todo o RS

Encantado sediou etapa do Campeonato Gaúcho de Parapente, com participação de uma centena de competidores

Créditos: Lucas George Wendt
ESTABILIDADE: clima estável contribuiu para a realização das provas - Lucas George Wendt
Encantado - A cidade sediou, com pilotos oriundos de todo o RS, etapa do Campeonato Gaúcho de Parapente, entre o sábado e domingo. O evento foi promovido pela Associação Vale do Taquari de Vôo Livre (AVTVL). A três mil metros de altura, as provas foram realizadas sobre os municípios de Estrela, Lajeado, Arroio do Meio e Teutônia - completando mais de 60 quilômetros de distância. No sábado, os organizadores esperam contar com cerca de cem pilotos competindo. Os competidores vieram de diversos pontos do RS, entre eles, as cidades de Caçapava do Sul, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Sapiranga, Agudo, Santa Maria. "Estamos recebendo pilotos do Estado inteiro", diz Rodrigo Majolo, uma dos organizadores da atividade. Ele explica que, para voar, em competição, é necessário que os pilotos estejam federados. "Os clubes locais são vinculados à Federação Gaúcha de Vôo Livre, a Federação, à Confederação". Mais tarde, foi realizada uma prova para iniciantes. Durante o evento, vôos duplos e turísticos também aconteceram. O presidente do Associação Vale do Taquari de Vôo Livre (AVTVL), Ricardo Majolo, diz que as "as provas somam para o ranking gaúcho, e as etapas definem um campeão regional". Ele avalia que as condições de tempo foram boas no final de semana. Foram quatro categorias em competição na regional - com um campeão por categoria. Majolo detalha as categorias. "Open, serial, serial light e permanência e pouso estiveram na disputa", diz. As duas primeiras fazem referência ao tipo de equipamento que o piloto utilizou, e as duas últimas são categorias para iniciantes 
 
Vencedores 
Categoria Sport Light:
1 Anderson da Cruz Bruch, de Lajeado
2 Ronaldo de Mattos Santana, de Sapiranga
3 Janir Luis Schaab, de Picada Café
 
Categoria Sport:
1 Thiago Daher, de Caxias
2 - Alan Cecatto, de Carlos Barbosa
3- Marco André Bruxel, de Estrela.
 
Categoria Serial:
1 Luís Carlos Fagundes Filho, de Caxias
2 Michel Cecatto, de Carlos Barbosa
3 Daniel Geisse, Pinto Bandeira
 
Categoria Open:
1 Luís Carlos Fagundes Filho, de Caxias
2 Luciano Horn, de Sapiranga
3 Michel Cecatto, de Carlos Barbosa
 
Em família
Daiton Waschburger é um empresário em Sapiranga. De lá, veio a Encantado para acompanhar a competição e voar, mais tarde. Apesar de não se juntar aos competidores, na ocasião, ele assegurou um sobrevoo pelo Vale. Pela primeira vez na região, trouxe junto a esposa, e os filhos, Rafael e Leonardo. Ele é praticante do vôo livre há dois anos e comenta que, depois da primeira tentativa, a vontade de voar só aumentou. "Quando estou lá em cima sinto uma sensação de liberdade total", diz. 

 
A prova
A prova do sábado foi delimitada - uma triangulação sobre o Vale determinava os pontos sobre os quais os esportistas deveriam passar, pelo ar.  Majolo explica que todo o trabalho e o vôo é auxiliado pelo GPS, instrumento com o qual a prova é montada. O objetivo dos competidores, após o start e depois de ganharem altura suficiente, é realizar a passagem por todos os pontos estabelecidos pela região no menor tempo possível. Para isso, as condições do vento estavam favoráveis perto das 13h, no sábado. A janela de decolagem foi até as 14h. Esse foi o intervalo em que os competidores puderam saltar da rampa de vôo. Os primeiros a subir esperaram no ar, após assumirem a altura necessária, para o início conjunto da prova. "No céu o competidor passa pelo raio de ação, entra e vai pro próximo ponto", diz. 
 

Comentários

VEJA TAMBÉM...