Colunistas

O Natal em Lajeado

Desde a chegada na cidade (trevo acesso) até a principal avenida, é bonito ver a organização e a relação com a comunidade


Começo de conversa

Natal em Lajeado
Governar necessariamente é tomar decisões. Decisões sempre agradam ou podem desagradar alguns. O caso é o seguinte: há quem não concorde ou até critique a decoração natalina de Lajeado. Minha modesta opinião é de aprovação. Desde a chegada na cidade (trevo acesso) até a principal avenida, é bonito ver a organização e a relação com a comunidade.

Grande deslize
A pré-candidata à presidência da República Manuela D'Ávila (PCdoB) escorregou e feio no último domingo na Band, quando indagada sobre ética. Para a deputada estadual gaúcha a ética tem de ser respaldada pela Justiça. Ledo engano, deputada!

Tudo pela Reforma da Previdência
Temer e sua base não medem esforços para ainda em 2017 aprovar a Reforma da Previdência. Bancada na Câmara do PSDB poderá ser decisiva para aprovação.

Grande expectativa
Todos esperam ansiosamente a decisão do TRF-4 sobre a sentença condenatória em primeira instância de Lula. Muita coisa poderá mudar a partir do Tribunal de Porto Alegre. Aguardemos!

É de dar asco!
220 mil Euros para adquirir um anel, em 18 de julho de 2009. Sim, este é o valor que o presidiário governador Sérgio Cabral solicitou - licença poética minha - para um empreiteiro envolvido com obras para a Copa do Mundo, à época.

Você sabia que...
No ano 245 d.C., o teólogo Orígenes repudiava a ideia de se festejar o nascimento de Jesus "como se fosse um Faraó". Há inúmeros testemunhos de como os primeiros cristãos valorizavam cada momento da vida de Jesus Cristo, especialmente sua Paixão e Morte na Cruz. No entanto, não era costume na época comemorar o aniversário e portanto não sabiam que dia havia nascido o seu Senhor. Os primeiros testemunhos indicam datas muito variadas, e o primeiro testemunho direto que afirma que Jesus Cristo nasceu no dia 25 de Dezembro é de Sexto Júlio Africano, no ano 221.

 

Duas perguntas para Mateus Bandeira, Pré-Candidato Governo RS pelo Novo. Economista com formação acadêmica no The Wharton School, Universidade da Pensilvânia. Presidente do Banrisul e secretário de Gestão e Planejamento no governo Yeda Crusius. Sócio da Falconi Consultores de Resultado.

1) Por que sou pré-candidato ao governo do RS pelo Novo?
Sou pré-candidato do Novo porque acredito que o Novo é a melhor expressão dos anseios dos brasileiros por renovação na política; porque o Novo é o único partido que não usa dinheiro de impostos, só aceita membros com ficha limpa e é também o único que defende as liberdades individuais e a livre iniciativa, com menos intervenção estatal e mais foco e eficiência no que é a essência do papel do Estado. O Novo é uma plataforma de mudança para o Brasil, diferente de tudo o que já tivemos e dos partidos que nos trouxeram ao caos que vivemos hoje. Aceitei o desafio que o Novo me propôs porque acredito que tenho experiências relevantes no setor público e privado que me credenciam a disputar o governo do Estado.

2) O que faria de imediato para fazer o RS voltar a crescer?
Duas agendas são imperiosas e imediatas: a da sustentabilidade fiscal - com privatizações, redução de despesas e privilégios -, e a da desburocratização, inovação, simplificação de processos e melhoria do ambiente de negócios, para melhorar nossa competitividade na atração de investimentos.

Recordar é viver...
Há 20 anos
A 4 de dezembro de 1997, o Banco Meridional, com sede em Porto Alegre, foi privatizado em leilão que durou 26 minutos na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O Banco Bozano Simonsen pagou R$ 266 milhões. O Meridional surgiu em maio de 1985 por pressão de deputados e do governo do Rio Grande do Sul, tornando-se uma sociedade de economia mista e tendo a União como única acionista. Atualmente, quem responde pelas agências do antigo Meridional é o banco Santander.

 

Papo de Café
Nome completo: Giovane Gonçalves
Naturalidade: Putinga 
Profissão: Estudante de Teologia e Bacharel em Filosofia. Seminarista da Diocese de Santa Cruz do Sul.
Time do coração: Não me interesso por futebol.
Política é... Política é uma das formas mais elevadas da caridade, pois procura o bem comum. E procurar o bem comum é um dever de todos. Devemos ser pessoas com os outros e para os outros, isto é, devemos nos preocupar com os outros. Num mundo com tanta riqueza e tantos recursos para dar de comer a todos, é inadmissível como haja tantas crianças esfomeadas, tantas crianças sem educação, tantos pobres. É aí que a caridade se manifesta!
Gostaria de tomar um café com... Papa Francisco.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...