Colunistas

A briga interna no PSDB de Lajeado

A Coluna recebeu uma nota com pedido de direito de resposta de um grupo de filiados do PSDB sobre a eleição do partido em Lajeado


** A Coluna recebeu uma nota com pedido de direito de resposta de um grupo de filiados do PSDB sobre a eleição do partido em Lajeado. No texto, o grupo que perdeu a disputa, acusa que ocorreu "fraude na eleição". Diz a nota: "cerca de 30% dos integrantes desta foto (publicada após a convenção com os novos dirigentes e simpatizantes) foram filiados depois da convenção, e alguns receberam promessa de cargos em secretarias da prefeitura das quais o PSDB faz parte hoje. Devido a impugnação de registro da Chapa 2, movido pela Chapa 1, a mesma que fora mencionada em publicação anterior por Fabiano Conte em sua Coluna, teve seu registro desativado no TSE. Houve a comprovação de que a Chapa 2 não cumpriu com as normas estabelecidas pelo estatuto do PSDB como a exigência de no mínimo 6 meses de filiação para participação da composição da chapa". 


** A nota registra que o PSDB de Lajeado não está "fechado" com a vereadora Mariela Portz como candidata a deputada estadual e que boa parte dos tucanos pretende apoiar o candidato regional (Vale do Taquari e Vale do Rio Pardo), Vinicius Medeiros, que possui articulação em Lajeado com Eduardo Thomas e contaria com apoio de Eduardo Leite e Lucas Redecker.


** Outro ponto destacado no texto é de que "o interesse na publicação da referida reportagem, buscou denegrir a imagem da Chapa 1 citando Marcio Klaus, que negou apoio a Chapa 2 da Mariela Portz. Ocorre que o partido foi fundado pelo grupo que formou a Chapa 1 e Marcio Klaus não fazia parte da composição da mesma, preferiu apenas apoiar indiretamente Leonei Odorizzi e Eduardo Thomas para que dessem continuidade ao partido fundado por eles em 2006. Também não há e nem haveria motivos para impugnação da chapa 1 conforme mencionado na matéria, porque houve o perfeito cumprimento de todas as exigências previstas no estatuto do PSDB para convenções municipais, dando guarida jurídica ao processo".


** A Coluna apurou junto a diretoria eleita de que todos os procedimentos, segundo eles, estão dentro do que regulamenta o estatuto do partido e de que os mesmos estão tranquilos. "A disputa pela presidência do partido faz parte da democracia e é salutar para a sigla. O que precisamos agora é resgatar os propósitos tucanos e nos unirmos para tornar o partido cada vez maior em Lajeado", diz um dos integrantes do Diretório.


** A administração de Lajeado encaminhará na próxima semana projeto de lei do reajuste dos tributos municipais. Em 2017 o valor do reajuste deverá ser de 2,6% ante os 9,75% de 2016. O critério usado foi o IPCA dos últimos 12 meses, exatamente o mesmo critério usado em março passado no reajuste do funcionalismo. A mensagem do governo é clara: equilíbrio nas contas se faz controlando as despesas e não com aumento de impostos acima da inflação.


** O pai do deputado estadual Edson Brum faleceu quinta-feira, dia 9. O empresário do ramo de indústria e comércio de móveis e político Vilson Carlos Matte Pessoa de Brum (76) morreu internado no Hospital Ana Nery de Santa Cruz do Sul, depois de uma longa luta contra o câncer. Foi três vezes vereador em Rio Pardo e uma vez vice-prefeito. Casado com Ana Edith Meurer Brum, tiveram os filhos Ister, Edson (deputado estadual), Edivilson (ex-prefeito de Rio Pardo) e Tiago. O corpo foi velado na Câmara Municipal de Rio Pardo e sepultado no Cemitério Municipal. A Prefeitura decretou luto oficial por três dias. O deputado Edson Brum mantinha convivência muito próxima com o pai de quem seguiu os passos na vida pública. (TEM FOTO)


** O PMDB de Lajeado sob a liderança de Carlos Eduardo tem reunião do partido marcada para o dia 23, às 19h30min no galpão do Eder Spohr. O encontro servirá para dar os encaminhamentos do novo presidente e discutir sobre as eleições do próximo ano.


** Em razão da greve dos professores, 179 transferências foram efetuadas nas escolas da rede estadual. Especialmente alunos de terceiros anos buscaram "guarida" em escolas que não aderiram a paralisação.


** Em Encantado, a Prefeitura fez uma pesquisa sobre o estacionamento no município. Mais de 400 pessoas, entre comerciantes e motoristas, opinaram sobre o assunto. A pesquisa apontou que 94,62% dos entrevistados consideram o Estacionamento Rotativo necessário para o município. Com base nos dados serão propostas sugestões para regulamentar e qualificar o sistema na cidade.


** No dia 14, às 19h, na sede do Sindicato da Alimentação de Lajeado, ocorrerá uma palestra com o senador Paulo Paim. Ele falará sobre os temas Estatuto do Trabalho, CPI da Previdência e a Frente Ampla pelo Brasil. A iniciativa é do PT de Lajeado e o encontro é aberto ao público.

** Hospital Beneficente Padre Catelli de Anta Gorda agora está sob comando de uma associação. Um dos motivos que fez com que as Irmãs da Província Scalabriniana deixassem de atuar foi o atraso de repasses do Estado. Ainda sobre o Hospital de Anta Gorda. Duas emendas parlamentares foram perdidas em função de perda de prazos e de documentações. A atual administradora, Adriane Potrich afirma que o problema foi da gestão anterior. No total, R$ 250 mil foram perdidos.


** Cláudio Janta, Presidente do Solidariedade no RS condiciona apoio ao PMDB de Sartori somente se o governo começar a pagar em dia suas contas, desde funcionalismo até repasses.


** Cláudio Gasparotto, que havia se filiado ao SD em Lajeado pediu sua desfiliação.

** PSDB do RS deve mesmo lançar Eduardo Leite como candidato ao governo do Estado. Hoje, dia 11, na capital gaúcha ocorre convenção estadual dos tucanos.


** Em pesquisa interna PP chega à conclusão de que deve lançar candidato ao governo do Estado. O prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin é apontado como um dos nomes mais cotados.


** Em 2017, até agora, o total gasto com os cartões corporativos do governo ultrapassou os R$ 33 milhões para bancar despesas do governo Temer. A Presidência da República é responsável pela maior parte dos gastos. Foram R$ 8,5 milhões. Cada vez que um funcionário público usa um cartão corporativo do governo o custo médio é de R$ 434,00. Valores pagos pelo contribuinte brasileiro.


** Pensando bem, quando adoecem, por que presidentes e ministros e outras figuras da política não recorrem ao SUS?

 

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...